11 competências para ser um bom coach

Publicado em por
11 competências para ser um bom coach

A ICF definiu 11 competências que todo profissional que trabalha na área do coaching deve desenvolver

A International Coach Federation (ICF) é a maior organização de coaches profissionais em termos mundiais, presente em mais de 143 países e com mais de duas décadas de experiência. É por isso que é a principal referência para atender a um quadro de referência para o bom desempenho profissional do Coaching.

A ICF definiu 11 competências que todo profissional que trabalha na área do coaching deve desenvolver

A International Coach Federation (ICF) é a maior organização de coaches profissionais em termos mundiais, presente em mais de 143 países e com mais de duas décadas de experiência. É por isso que é a principal referência para atender a um quadro de referência para o bom desempenho profissional do Coaching.

A seguir estão as 11 competências que são consideradas na formação de um Coach:

  • Respeitar as normas éticas e deontológicas.

Os profissionais de coaching são regidos por meio de um Código deontológico da profissão, em que são estabelecidos normas e valores desta disciplina.

  • Estabelecer o acordo de coaching.

Desde a primeira sessão de coaching é estabelecida uma relação entre o coach – o coachee, por isso é importante estabelecer um acordo com diretrizes e parâmetros que acompanhem o processo.

  • Estabelecer confiança e intimidade com o cliente.

O respeito e a confiança mútua são essenciais para criar um ambiente propício que contribua para o alcance dos objetivos do coachee/cliente.

  • Estar presente no coaching.

O coach deve mostrar-se com total abertura, flexibilidade e segurança ao longo do processo. Em cada sessão, a consciência plena fará a diferença em sua relação com o coachee.

  • Escuta ativa.

Ao aplicar habilidades comunicativas, o coach deve ser capaz de escutar o que o seu cliente fala e o que ele não fala, com a finalidade de entender sua forma de pensar.

  • Questionar fortemente.

O trabalho mais representativo do coach é a de questionar o coachee para o benefício do processo, o uso de perguntas poderosas e de reflexão fazem a diferença nas sessões.

  • Comunicação direta

Um feedback efetivo depende da capacidade do coach de se comunicar efetivamente com o coachee/cliente com a finalidade de gerar uma relação positiva.

  • Criar consciência.

O coach é responsável por criar consciência no coache, e realiza isso propondo reflexões e identificando crenças limitantes.

  • Projetar as ações.

O coach deve permitir ao coachee que pense de forma diferente. É por isso que deve ter a capacidade de criar uma aprendizagem constante, motivando-o à mudança de pensamento.

  • Planejar e estabelecer metas e objetivos.

O processo de coaching deve estar baseado em um plano efetivo, pois segue a premissa de que os objetivos são acessíveis, mensuráveis, específicos e são obtidos em um tempo limitado.

  • Administrar o progresso e a responsabilidade.

Para que o processo alcance os resultados desejados, o coachee deve tornar-se responsável pelas ações que deve realizar, portanto, o coach deve ter a capacidade de centralizar a sua atenção naquilo que o ajudará a alcançar o seu objetivo.

Os alunos da área de Empresas contam com módulos de formação que permitem que eles abordem de forma mais aprofundada este tipo de competência para melhorar a relação com seus pares ou colaboradores, no caso de líderes de organizações.

Fonte: ¿Cómo ser un buen coach? Las 11 competencias del coach

Foto: Todos os direitos reservados