Publicado em por
Obesidade afeta o declínio cognitivo de idosos
Gerontologia

Obesidade afeta o declínio cognitivo de idosos

Segundo o Dra. Purificación Martínez, chega um momento em que há muita gordura e esta vai para outros órgãos, como o sistema nervoso, o que se traduz em problemas de memória, aprendizado ou execução

A obesidade é uma doença que favorece a deterioração cognitiva. Isto é o que vários estudos consideram. Um deles é o que foi publicado em 2012 na revista Neurology, que indica que pessoas com obesidade e distúrbios metabólicos experimentam um declínio cognitivo 22,5% mais rápido em comparação com aquelas que têm um peso normal e nenhum tipo de distúrbio metabólico.

Continuar lendo

Publicado em por
Os idosos que mais sofrem abusos são aqueles com dificuldades econômicas
Gerontologia

Os idosos que mais sofrem abusos são aqueles com dificuldades econômicas

Uma pesquisa realizada com idosos da cidade do Porto (Portugal) aponta que o abuso psicológico é o que mais predomina entre está população e que em geral afeta mais a mulheres entre 70 e 79 anos que não vivem de forma conjugal e possuem um alto nível de escolaridade

Segundo um estudo da Universidade do Porto, o tipo de abuso prevalente entre a população da terceira idade é o abuso psicológico, seguido do financeiro.

Continuar lendo

Publicado em por
Como prevenir a desnutrição nas pessoas de terceira idade?
Gerontologia

Como prevenir a desnutrição nas pessoas de terceira idade?

Algumas estratégias para evitar a desnutrição são promover o exercício para estimular o apetite ou servir lanches que fornecem nutrientes adicionais entre refeições

Existem diferentes motivos pelos quais os idosos podem sofrer de desnutrição. Um deles deve-se à dificuldade de absorver nutrientes; outro é por causa dos problemas de saúde, que podem causar a perda de apetite. Por outro lado, há certos medicamentos que podem diminuir a sensação de fome e inclusive afetar o sabor e o cheio dos alimentos.

Continuar lendo

Publicado em por
Dançar reduz o risco de incapacidade e melhora a condição física
Gerontologia

Dançar reduz o risco de incapacidade e melhora a condição física

Idosos que dançam têm menor risco de desenvolver uma incapacidade. Ao mesmo tempo, essa atividade melhora significativamente a potência aeróbica, a resistência muscular da parte inferior do corpo, a força e a flexibilidade

De acordo com um estudo recente realizado por pesquisadores do Instituto Metropolitano de Gerontologia de Tóquio (Japão), a dança pode ajudar as mulheres idosas a manter a capacidade de realizar tarefas diárias.

Continuar lendo