Publicado em por
Gerontologia

Longevidade é uma conquista de sociedades avançadas

Maria João Quintela, vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Geriatria e Gerontologia (SPGG), explicou o valor da longevidade e a necessidade de administrar adequadamente os cuidados às pessoas até sua morte.

“A vida é um bem único que deve ser preservado em qualquer idade”. Com estas palavras, a vice-presidente da SPGG, Maria João Quintela, reafirmou o valor da longevidade e da devida atenção às pessoas em todos os momentos de sua existência. Nesse sentido, ela criticou a negligência com a qual as sociedades avançadas adotam aos idosos.

Continuar lendo

Publicado em por
Gerontologia

Improvisação teatral melhora a sociabilidade dos idosos

Um estudo realizado por pesquisadores Northwestern University Feinberg School of Medicine (Estados Unidos) concluiu que idosos que realizam improvisação teatral possuem mais habilidades sociais.

A participação em atividades de improvisação teatral relata uma série de benefícios saudáveis para idosos. A esta conclusão chegou uma pesquisa liderada pela Dra. Lucy A. Morse. Nela foi estudado um grupo de idosos que participaram do programa de teatro de improviso “Humor Doesn’t Retire”, projetado para pessoas acima de 55 anos.

Continuar lendo

Publicado em por
Gerontologia

Avós ajudam as mães a retornarem ao mercado de trabalho

Um estudo recentemente publicado pela revista científica Journal of Social Policy evidenciou o relevante papel desempenhado pelos avós, assumindo o cuidado de seus netos, no retorno das mães ao trabalho.

É comum a presença de avós na porta da escola, nos playgrounds ou em locais onde as atividades extracurriculares ocorrem. Nesse sentido, o Dr. Shireen Kanji, da Universidade de Birmingham (Reino Unido) realizou uma pesquisa com o objetivo de determinar o grau de importância que essas pessoas têm no cuidado de seus netos e na reincorporação das mães no mercado de trabalho.

Continuar lendo

Publicado em por
Gerontologia

Cuidadores de idosos têm alto risco de sofrer depressão

Diversos estudos revelaram altas porcentagens de depressão, de ansiedade e de estresse entre os cuidadores de idosos.

Recentemente pesquisas indicaram altos percentuais de depressão, de ansiedade e de estresse que experimentam os cuidadores de idosos. Neste sentido, o relatório “Embracing Carers”, impulsionado pela empresa tecnológica Merck KGaA, concluiu que 47% dos cuidadores não profissionais estão deprimidos. Do mesmo modo, 58% não pode conciliar regularmente o sono e quase a metade apresenta problemas de ganho ou perda de peso durante o tempo de seu desempenho na atenção a outra pessoa.

Continuar lendo