Risco de ataques do coração em homens pode diminuir com o consumo de vitamina D

Publicado em por

Consumir uma dose recomendada diminui a propensão de sofrer episódios de doenças cardíacas. Boas notícias na luta contra as doenças do coração. Um recente estudo descobriu que os homens que consomem certa quantidade recomendada de vitamina D têm uma menor propensão de sofrer ataques do coração ou acidente vascular cerebral, em contraposição a aqueles com baixos níveis de vitamina D.

Aproximadamente 119 mil adultos foram observados durante duas décadas para este estudo, publicado no American Journal of Clinical Nutrition. A pesquisa revelou que os homens que consumiam ao menos 600 unidades de vitamina D por dia são 16 por cento menos propensos a desenvolver problemas de coração ou acidentes vasculares cerebrais do que aqueles que tomavam menos de 100 unidades diárias.

Entretanto, este padrão não se repetiu entre as mulheres, conforme detalhou o pesquisador Qi Sun, da Escola Pública de Harvard, EUA. Segundo Sun, as observações mostram que um maior consumo de vitamina D está associado a um menor risco de doença cardiovascular em homens, mas não em mulheres. Entretanto, Sun e outros pesquisadores indicaram que estas descobertas não são suficientes para fazer recomendações sólidas. Ele indicou que o estudo não prova que a vitamina D, encontrada em peixes, ovos, leite enriquecido e óleo de fígado de bacalhau, seja a causa do menor nível de risco que o estudo indica.

Esta pesquisa foi baseada na observação, tomando como ponto de partida os dados de dois projetos a longo prazo que, desde a década de 1980, são realizados por dois grandes grupos de profissionais da saúde nos EUA. Entre os 45 mil homens analisados, apresentaram-se 5.000 novos casos de doença cardiovascular durante o período de estudo, marcado por ataque do coração, acidente vascular cerebral ou morte cardiovascular.

Sun disse ainda que é desconhecida a razão pela qual os números nos homens não seguiram o mesmo padrão nas mulheres, especulando que uma possibilidade pode ser que elas tenham uma menor quantidade de vitamina D ativa no sangue.

 

A área de Saúde e Nutrição oferece programas que respondem às necessidades de formação dos profissionais da saúde. Essa formação, por sua vez, responde às necessidades de saúde da população. Conheça mais sobre os estudos em Saúde e Nutrição da FUNIBER.