Cresce o acúmulo de lixo eletrônico

Publicado em por
Cresce o acúmulo de lixo eletrônico

O tratamento inadequado do lixo eletrônico pode ocasionar graves impactos no meio ambiente e em nossas vidas devido às substâncias tóxicas contidas

Uma das principais causas da grande quantidade de refugos eletrônicos é a curta vida útil dos mesmos. As empresas programam os aparelhos tecnológicos para que quando cumprirem determinados anos de vida deixem de funcionar, e assim os clientes tenham que substituir eles. Entretanto, muitas vezes, aquelas tecnologias que ficam em desuso não são recicladas. Em outras ocasiões, não são da forma correta. É por isso que muitos países já tomaram as medidas necessárias para evitar a acumulação destes resíduos nas casas ou em locais onde não correspondem. A Lei de Lixo Eletrônico é uma iniciativa que já está sendo aplicada em muitos países e conta com várias ações:

  • Incentivo aos produtores de aparelhos eletrônicos e elétricos para que produzam aparelhos cada vez mais fáceis de reciclar, reutilizar, livres de substâncias tóxicas e com uma maior durabilidade.
  • Eliminação de substâncias perigosas no projeto dos aparelhos, que danificam o ambiente e colocam em risco a saúde dos trabalhadores e o público.
  • “Responsabilidade Individual do Produtor”, que significa que os produtores (fabricantes, importadores, comercializadores, etc.) são responsáveis legais e financistas do ciclo completo de seus próprios produtos, incluindo a reciclagem e a reutilização dos resíduos dos aparelhos uma vez que o consumidor os despreze.
  • Reutilização e reciclagem como métodos de avaliação dos resíduos de aparelhos elétricos e eletrônicos.
  • Impulso de um sistema de gestão a nível nacional do lixo eletrônico que permita aos consumidores desfazer-se, de forma mais segura, de seus aparelhos uma vez finalizada sua vida útil.

O caso de países como a Argentina é preocupante. A tentativa de implantar esta lei não chegou a um bom destino devido que os Deputados da Frente para a Vitória se recusassem em dar tratamento no Congresso da Nação. Portanto, as empresas que fabricam os diferentes aparelhos eletrônicos na Argentina estão isentas de sua reciclagem, enquanto que em outros países estão obrigados a fazê-la.

Apesar deste desinteresse das empresas, a população argentina não vai permitir a acumulação deste lixo e é por isso que vizinhos da localidade de San Fernando del Valle da Catamarca já se uniram para compilar resíduos eletrônicos, desprezando 15 toneladas de velhos aparelhos. Estes foram entregues ao Centro de Recepção, localizando nos arredores do Teatro do Sul desta capital.

Se você estiver interessado em conhecer mais sobre a reciclagem de certos resíduos, informe-se na FUNIBER sobre a especialização em Gestão de Resíduos.

Fonte: Argentina: Descartaron unas 15 toneladas de residuos electrónicos en Catamarca

Foto: Todos os direitos reservados