Publicado em por
Os homens também deveriam fortaleceer os músculos pélvicos
Esportes | , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Os homens também deveriam fortalecer os músculos pélvicos

Para prevenir problemas de próstata, incontinência urinária e ereção, urologistas recomendam os exercícios de Kegel para trabalhar o assoalho pélvico

Recomenda-se de maneira geral que as mulheres, especialmente aquelas que acabam de passar por um parto, trabalhem a zona pélvica. Mas esta região é um tanto esquecida para os homens. Eles deveriam também ter presente a necessidade de fortalecer a pélvis.

Continuar lendo

Publicado em por
Descobertas recentes indicam novos conhecimentos sobre o glicogênio
Esportes, Saúde e Nutrição | , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Descobertas recentes indicam novos conhecimentos sobre o glicogênio

Equipe busca tratamento para doença e encontra novas relações do glicogênio para a energia nos músculos e no rendimento físico

O glicogênio é um tipo de açúcar que se armazena no músculo e é liberado durante exercícios físicos breves e intensos. Ele poderia ser considerado uma fonte de energia importante para atletas que participam de competições. Continuar lendo

Publicado em por
Exercícios podem evitar problemas de mobilidade entre idosos com obesidade
Esportes, Gerontologia, Saúde e Nutrição | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Exercícios podem evitar problemas de mobilidade entre idosos com obesidade

Estudo nos Estados Unidos mostra que atividade física moderada pode diminuir o risco de sofrer problemas com mobilidade entre idosos com excesso de peso

Com o avance da idade, a capacidade de mover-se pode afetar atividades diárias simples como levantar-se da cama, sentar-se e caminhar. No caso de idosos com excesso de peso, esta situação poderia se agravar ainda mais, ameaçando a independência de uma pessoa. Continuar lendo

Publicado em por
Calculam-se os passos em todo o mundo
Esportes, Saúde e Nutrição | , , , , , , , , , , , , , , ,

Calculam-se os passos em vários países do mundo

Contar os passos de pessoas em todo o mundo ajudou a saber que há desigualdade na atividade física diária entre os países e que os dados se relacionam com a obesidade

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Stanford desenvolveu um aplicativo para saber onde há menos sedentários no mundo. Com a aplicação da ferramenta, os cientistas puderam calcular a quantidade de passos por dia de algumas pessoas em 11 países. Continuar lendo