Publicado em por
Aumentam os ataques de malware durante o primeiro semestre do ano
Tecnologias TIC

Aumentam os ataques de malware durante o primeiro semestre do ano

Em 2018, foram registrados 3 bilhões de ataques a mais em comparação com 2017. O ransomware, ou a encriptação de arquivos, é a principal ameaça

Sempre que se compra ou se formata um computador, um dos primeiros passos que devem se dados é o de instalar um antivírus. Assim, deve-se evitar que se instalem malwares, ou seja, aquele tipo de software malicioso que trata de infectar o PC ou o celular. De acordo com o relatório Ameaças Cibernéticas SonicWall 2018, o volume de malwares continua crescendo a níveis recordes desde 2017. Continuar lendo

Publicado em por
Recomendações básicas para se proteger de um ataque cibernético
Tecnologias TIC

Recomendações básicas para se proteger de um ataque cibernético

O portal especializado Mediatrends publicou alguns simples conselhos para tratar de proteger os internautas dos ataques dos hackers. Instalar um antivírus, ativar o Firewall ou verificar os executáveis baixados são três destas sugestões elementares

O aumento dos ataques na Internet obrigou os usuários a aumentar seu nível de proteção. Neste sentido, a empresa de cibersegurança Trend Micro detectou 82 milhões de ameaças somente de ransomware durante a primeira metade de 2017. Do mesmo modo, a diretora de marketing da companhia de segurança informática Bitdefender para a Espanha e América Latina, Jocelyn Otero, explicou que “o malware se converteu em uma indústria em crescimento, que aumenta ano a ano entre 200% e 300%”. Continuar lendo

Publicado em por
A ameaça invisível dos malware sem arquivo
Tecnologias TIC

A ameaça invisível dos malware sem arquivo

Os malwares sem arquivo são programas maliciosos que são executados a partir da memória do computador e não deixam rastros no disco rígido. Por isso, os antivírus mais simples são incapazes de detectar eles

A ameaça dos malwares sem arquivo, ou fileless malware, está cada vez mais presente na rede. Neste sentido, um estudo realizado pela empresa de cibersegurança Carbonblack revelou que os hackers escolhem eles pela dificuldade que existem em os rastrear. Continuar lendo

Publicado em por
Malware Faceliker afeta o Facebook
Tecnologias TIC

Malware Faceliker afeta o Facebook

A empresa de segurança em informática McAfee alertou sobre proliferação deste cavalo de troia durante o segundo trimestre de 2017. Detectou-o em quase 9% dos 52 milhões de computadores que a empresa analisou neste período. Segundo dados da empresa, a presença do malware em redes sociais aumentou em 67% em todo mundo

A partir da McAfee foi explicado que Faceliker tem um funcionamento muito simples. Assim, o programa malicioso infecta o navegador web do usuário. Depois disso, se você acessar ao Facebook a partir do browser infectado, este malware sequestra algumas funcionalidades da conta. A partir de então, executa um código JavaScript que dá o “curtir” em determinados links ou páginas que pagam, por isso, aos hackers. Do mesmo modo, detectou-se que, também, dá “likes” em páginas de notícias falsas. Continuar lendo